sexta-feira, 30 de setembro de 2016

TRIBAL FUSION POR RHADA NASCHPITZ


A DANÇA TRIBAL FUSION OU FUSÃO ÉTNICO-CONTEMPORÂNEA
      A Dança Tribal Fusion ou Fusão Étnico-Contemporânea é um estilo de Dança do Ventre que surgiu na Califórnia -EUA em 1996 com a dançarina Jill Parker ( es-membro do FCBD, Cia da criadora do estilo American Tribal Style- ATS),e diretora do Ultra Gypsy. Onde são fusionadas diversas danças étnicas e contemporâneas como o flamenco, danças indianas, danças ciganas..Dança contemporânea...Possibilitando novos conceitos de movimentos, estética, expressão, e liberdade de estilo musical e próprio de cada dançarina(o). Seu nome Tribal, é oriundo dos estudos coreológicos de Carolena Nericcio Bohlman, diretora do FatChance Belly Dance- FCBD (São Francisco – EUA/1987) chamados no estilo original (American Tribal Style- ATS) de Improvisação Coordenada ,baseado na estética tribal apresentada por Jamila Salimpour e o grupo Bal Anat nos anos 70 em São Francisco - Califórnia, e os ensinamentos de sua professora Macha Archer, bailarina treinada por Jamila (São Francisco Classic Dance Troupe). A Improvisação Coordenada é um vocabulário fixo de movimentos e sinais, onde um vocabulário gestual com o qual as bailarinas comunicam os próximos passos a se executar durante a dança, exclui a necessidade de coreografias. O Tribal Fusion surgiu quando dançarinas do FatChance começaram a dar vazão de suas próprias idéias, acrescentando novas influências e abrindo o leque de possibilidades a partir do estilo original, como utilização de músicas ocidentais, coreografias, solos e trajes diferenciados. O Tribal Fusion é a fusão ou desconstrução do ATS com o que desejar.

     O Tribal Fusion possibilita ao dançarino incorporar na sua dança experiências únicas individuais e corporais, produzindo "novos" modos de expressão e percepção, tem autonomia para construir suas próprias particularidades coreográficas e tocar o público com aquilo que somente ele pode transmitir. Reafirma uma identidade sem perder as bases, as raízes técnicas e étnicas. O seu toque contemporâneo abre um arsenal de sistemas e métodos desenvolvidos da dança moderna e pós-moderna, que transcende a técnica específica que é característica da arte da dança. O corpo como é visto na dança contemporânea e suas técnicas somáticas e corporais, e de condicionamento físico, tornam o trabalho de conscientização corporal e do movimento necessidades existentes dentro do Tribal Fusion. Esse estilo também não reduz a dança apenas a repetições mecânicas do movimento só porque existe uma base (ATS - American Tribal Style).A transgressão das regras na desconstrução de gestos bases do ATS e de outras danças usadas na fusão, deixando o corpo fluir de acordo com os movimentos sentidos pela experiência técnica e expressão própria do artista, já enraizados na movimentação espontânea do corpo cênico, é o aditivo o fascínio da expressão livre a partir de uma técnica que pode ser descontruída mesmo existindo como base. Esse estilo foge as regras rígidas folclóricas e étnicas em rumo a inovação do contemporâneo. Uma arte em que passado ,presente e futuro se interagem, expressando livremente com bases e princípios que levam a meios, fins e infinitos. As Danças milenares adaptando-se as necessidades culturais moderna de forma contagiante.

                          Por  Rhada Naschpitz    /  rhadadarkdancer@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário